Congresso evoca ligação de Vergílio Ferreira a Évora no centenário do escritor

A ligação do escritor Vergílio Ferreira a Évora, onde lecionou e que consta da sua obra, vai ser evocada num congresso na cidade alentejana, entre os dias 29 de fevereiro e 02 de março. A iniciativa, integrada nas comemorações do centenário do nascimento do escritor (1916-1996), que se assinala hoje, é organizada pelos departamentos de … LER MAIS

A propósito de ‘Para Sempre’, de Vergílio Ferreira

  Não quero falar de Para Sempre, quero deixar Para Sempre falar-me na memória comovida de um silêncio espesso que ritmicamente perpassa “o murmúrio do Tempo”. Romance para ler, reler e sentir, antes (ou mesmo em vez) de qualquer explicação. Obra que rejeita liminarmente, por supérfluo e excessivo, qualquer prefácio ou posfácio, tudo o que … LER MAIS

Uma lente para o mundo ou o reflexo do ser

Numa época em que as pessoas andam à velocidade da luz, executam múltiplas tarefas simultaneamente e iludem o seu cansaço com cafés e bebidas energéticas, é fundamental preservarmos a nossa individualidade e libertarmo-nos da frieza calculista da sociedade. Sempre tive uma paixão pela fotografia, mas a chama desta forma de arte avivou-se recentemente. Por isso, … LER MAIS

Impressões

I «Certa manhã de outono, chovia a cântaros e a tempestade que se formava rugia como um leão feroz. O vento forte e rugoso batia na pele das pessoas, congelando-as com o seu frio gélido de lâmina. A chuva indomável caía gota a gota até rebentar, multiplicando-se em milhares de gotículas sobre o chão de … LER MAIS

Elena Ferrante – Um nome com mistério

“Já fiz o suficiente por esta história. Escrevi-a.” O resto é privado. O nome Elena Ferrante começa e acaba nas páginas de cada um dos seus livros, a sua verdade é exclusivamente literária. Para lá disso, surge a lenda. Nasceu em Nápoles há uns 60 anos. Por vezes, aparece uma data associada: 1943. Será mulher, … LER MAIS

Viagem a Marburg

Oscar Wilde escreveu “Nada pode curar a alma, mas os sentidos, assim como nada pode curar os sentidos, mas a alma.” De quando em vez, isolo-me com a distância infinita que o tempo me concedeu entre a existência – entre a magia e o sonho, aliás – de uma figura como Wilde e o período … LER MAIS

Ponte(s)

Queimei-as. A todas. Estou sozinho nesta ilha abandonada. Sem escapatória. Os precipícios que a cercam não me permitem saltar para as águas que a envolvem em busca de salvação. O mar revolto esmagar-me-ia contra as rochas afiadas, de qualquer modo. Talvez fosse o melhor a fazer… Toda a minha existência é marcada pela miséria. Nasci, … LER MAIS