Cartas de um Cavaleiro Arrependido #3

Palácio dos lírios, 10 de junho de 1503 Doce e sumptuosa donzela, A minha mágoa sufoca-me de cada vez que penso em Vossa Alteza. O meu palácio transformou-se num lago de tristezas que me lembram a maldade que cometi. A princesa roubou o meu coração, pelo que pretendia demonstrar o meu arrependimento e remorso. No … LER MAIS

Cartas de um Cavaleiro Arrependido #2

                Palácio dos corvos, 7 de agosto de 1458   Minha profunda paixão,   Encontro-me, neste momento, prostrado no gélido chão do meu obscuro castelo, coberto de tristeza e de lágrimas sem fim. A mágoa compromete a minha capacidade de descrição sentimental. O meu coração, por uma só … LER MAIS

Cartas de um Cavaleiro Arrependido # 1

                No contexto do estudo do romance tradicional “O Caçador”, de Almeida Garrett, foi solicitado aos alunos do 7.º ano que imaginassem que, no último momento, o cavaleiro mudava de ideias, decidindo pedir perdão à donzela e declarar-lhe o seu amor. Ao longo dos próximos dias, publicaremos alguns … LER MAIS

Escrito à maneira de Saramago: o “espetáculo do mundo” em pleno século XXI

O dia bem podia ter dado em chuvoso. Não seria isso, contudo, que impediria que o nosso já conhecido, agora insone, hóspede saísse da cama de seu quarto num requintado hotel, somente reservado a quem, como ele, prefere a discrição que o dinheiro pode proporcionar e que respeitaremos, evitando ferir algumas suscetibilidades mais suscetíveis de … LER MAIS

Crítica de série televisiva

A série, baseada no romance de Jay Asher, representa um excelente exemplo dos problemas e obstáculos que atravessam a vida de um/uma adolescente do século XXI. Quanto ao assunto da série televisiva, podemos apontar o facto de a personagem principal, Anna Baker, cometer suicídio, deixando um rasto de treze cassetes, que descrevem as respetivas treze … LER MAIS

Tabacaria

O mundo é para quem nasce para o conquistar E não para quem sonha que pode conquistá-lo, ainda que tenha razão. Tenho sonhado mais que o que Napoleão fez. Tenho apertado ao peito hipotético mais humanidades do que Cristo, Tenho feito filosofias em segredo que nenhum Kant escreveu. Mas sou, e talvez serei sempre, o … LER MAIS

“Nox”, de Antero de Quental

Noite, vão para ti meus pensamentos, Quando olho e vejo, à luz cruel do dia, Tanto estéril lutar, tanta agonia, E inúteis tantos ásperos tormentos… Tu, ao menos, abafas os lamentos, Que se exalam da trágica enxovia… O eterno Mal, que ruge e desvaria, Em ti descansa e esquece alguns momentos… Oh! Antes tu também … LER MAIS

Vivência do amor em Memorial do Convento

  That’s when you know you found somebody really special… When you can just shut the fuck up for a minute and comfortably share silence. Pulp Fiction   Tanto pode ser o silêncio ausência de linguagem como uma forma de comunicação. Da primeira aceção, é o par real exemplo. Na verdade, em Memorial do Convento … LER MAIS

Cartas para Vig

Porto, 12 de março de 1853    Queridos pais,    Escrevo a pedir o vosso humilde perdão. Agora que sou capitão de um navio e giro uma próspera empresa de negócios, percebi que fugir de Vig não foi uma decisão consciente, mas uma resolução imponderada e impulsiva de um imaturo rapaz de catorze anos. Sete anos depois, olho para … LER MAIS