O que andamos a ler no 10º, 11º e 12º anos

Escrito por Helena Marques, O Bazar Alemão revela-nos memórias de histórias reais, cruzadas com personagens fictícias, nos primórdios da Segunda Grande Guerra Mundial. Inspirado nos eventos e acontecimentos ocorridos na Madeira, mais especificamente no Funchal, durante a antecâmara da Segunda Grande Guerra, a obra retrata os efeitos das ideologias antissemitas, neste caso a divulgação da … LER MAIS

Desafio Literário (9ºano – resposta)

“O Adamastor” (V, 37-60) é um dos episódios mais emblemáticos de Os Lusíadas. Entre as profecias do Gigante encontra-se o naufrágio de Manuel Sepúlveda e da sua família, que é glosado no soneto “Adamastor cruel! De teus furores” de Bocage, que aqui transcrevemos. Adamastor cruel! De teus furores Quantas vezes me lembro horrorizado! Ó monstro! … LER MAIS

ENTRE A FOLHAGEM #2

Conheci Mário Saa no âmbito da investigação no contexto do meu doutoramento em Literatura sobre a vida e obra de Guilherme de Faria. Há alguns anos que [na condição de bibliófilo] reúno na minha biblioteca as primeiras edições das obras de Mário Saa: Evangelho de S. Vito [1917]; Portugal Cristão-Novo ou os Judeus na República [1921]; Poemas Heróicos … LER MAIS

O que andamos a ler no 10º, 11º e 12º anos

Sábado, 28 de Março de 1813   Durante esta manhã, e na esperança de avistar Miss Elizabeth, encaminhei-me para o seu recanto preferido. Vagueava pelo parque havia já cerca de uma hora, quando encontrei a minha amada senhora de olhos vivos e um tanto misteriosos. Apercebendo-me das suas intenções de se afastar, apressei o passo … LER MAIS

Desafio Literário (9.º ano)

Para além de Fernando Pessoa, outros poetas portugueses se referiram, em verso, ao inesquecível episódio “O Adamastor”, de Os Lusíadas. Um deles (nascido no século XVIII e desaparecido no século XIX) alude, num soneto, a uma das profecias do Gigante. Transcreva na caixa de comentários o soneto em causa e indique a profecia que o … LER MAIS

ENTRE A FOLHAGEM # 1

Na condição de bibliófilo, tenho reunido na minha biblioteca primeiras edições de autores dos séculos XIX e XX. Acredito que as palavras de Jorge Luis Borges: “Siempre imaginé que el Paraíso sería algún tipo de biblioteca”… têm ainda mais sentido quando se folheiam livros como O Culto do Chá [1905] de Wenceslau de Moraes [impresso em … LER MAIS